Diabetes Gestacional


* O que é Diabetes gestacional?



O diabetes gestacional é uma condição caracterizada por hiperglicemia (aumento dos níveis de glicose no sangue) que é reconhecida pela primeira vez durante a gravidez. A condição ocorre em aproximadamente 4% de todas as gestações.Geralmente, o diabetes gestacional se cura logo após o parto. Mas se você teve diabetes gestacional, você está em risco para o diabetes tipo 2. Dessa forma, é importante manter os cuidados e acompanhamento médico mesmo após ter o bebê.

* Causas:

Não se sabem ao certo por que o diabetes gestacional se desenvolve. Sabe-se que o diabetes normal acontece quando pâncreas não é capaz de produzir o hormônio insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não é capaz de agir de maneira adequada (resistência à insulina). Seu corpo digere o alimento que você come para produzir açúcar (glicose) que entra em sua corrente sanguínea. A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar dentro das células, para ser utilizado como fonte de energia. Portanto, se houver falta desse hormônio, ou mesmo se ele não agir corretamente, haverá aumento de glicose no sangue e, consequentemente, o diabetes. Durante a gravidez, a placenta, que liga o seu bebê para seu suprimento de sangue, produz altos níveis de vários hormônios. Quase todos eles prejudicam a ação da insulina nas células, aumentando o nível de açúcar no sangue. Dessa forma, uma elevação modesta de açúcar no sangue após as refeições é normal durante a gravidez. Conforme seu bebê cresce, a placenta produz mais e mais hormônios que atuam no bloqueio de insulina. No diabetes gestacional, os hormônios placentários provocam um aumento do açúcar no sangue em um nível que pode afetar o crescimento e o bem-estar do bebê. O diabetes gestacional geralmente se desenvolve durante a segunda metade da gravidez.

* Fatores de risco:

Qualquer mulher pode desenvolver diabetes gestacional, mas algumas mulheres estão em maior risco. Fatores de risco para o diabetes gestacional são:
1- Idade superior a 25 anos
2- Histórico familiar de diabetes
3- Diabetes gestacional anterior
4- Bebês de gestações anteriores que nasceram com mais de 4 kg
5- Gestações anteriores com bebê natimorto inexplicável
6- Tolerância à glicose diminuída ou glicemia de jejum alterada (níveis de açúcar no sangue altos, mas não o suficiente para ser diabetes)
7- Aumento do líquido amniótico (uma condição chamada de polidrâmnio)
8- Excesso de peso antes da gravidez
9- Ganho excessivo de peso na gravidez
* Sintomas de Diabetes Gestacional:

O diabetes gestacional raramente causa sintomas. Dessa forma, é preciso fazer exames periódicos durante toda a gravidez, principalmente entre as semanas 24 e 28. É importante fazer esses exames uma vez que o açúcar elevado no sangue pode causar problemas para você e seu bebê.
Às vezes, o diabetes gestacional pode causar sintomas. Veja:

* Aumento da sede
* O aumento da micção
* O aumento da fome
* Visão turva.

No entanto, a própria gravidez causa essas sensações na maioria das mulheres, então isso nem sempre significa que a mulher tem diabetes. Converse com o médico se você tem esses sintomas e não deixe de fazer os exames pré-natais.

Estou de volta *-*

ooi mamães e leitores *-



O Blog está de volta novamente, depois de quase 3 meses sem mexer aqui, resolvi voltar com tudo, percebi que muitos ainda estão ligados aqui, comentando, participando de tudo , dei uma parada pois há alguns dias atrás estava no preparativos pro casório *-* , dai ficou um pouco difícil de acessar aqui sempre e também aconteceram muitas outras coisas particulares rs. 
 Bom mais agora estou de volta, e vim trazer uma noticia, o blog agora não vai só contar historias das Mamães, agora vou compartilhar tudo, explicar muitas coisas, o blog irá abordar inúmeros assuntos,m e caso vocês tenham interesse em algum assunto especifico, entre em contato comigo, ali na lateral esquerda tem o link, e me diga o que está achando do blog e conte sobre o que gostaria de ler aqui, atenderei todas :D . 
Quero aproveitar também e agradecer por chegar aos 140 seguidores *-*, nem acreditei quando entrei aqui , pois quando comecei esse blog tinha apenas 3 pessoas, e não imaginei que iria tomar esse rumo, ter tantos seguidores e tantas pessoas interagindo, obrigado meninas é por vocês que estou de volta  



Então vamos lá (...)

Carol Giraldi

(...) Mamãe da Princesa Alice Eduarda *-*




A Descoberta e o Relato do Parto:

Eu engravidei aos meus 20 anos de idade, pai verdadeiro da Alice me mandou embora de casa e daí os problemas começaram, voltei para casa dos meus pais. As primeiras 5 semanas eu tive de uma so vez 2 rompimentos de plascenta, fui ao medico fiz meu primeiro ultrasom de emergência ai eu e a vovo ouvimos a primeira vez os batimentos,uma sensação inexplicável,tomei os remédios e ficou tudo bem. Fui fazer o ultrasom morfológico que meu medico pediu com 8 a 9 semanas, ai sim descobrimos que ela tinha (Gastrosquize ou como mas conhecida Onfalocele) a dela foi a má formação do abdômen, ela iria nascer com os orgãos (INTESTINO E FIGADO) Para fora, envolvidos por uma pele muito fina, a dela era maior que a cabeça dela, ai meu medico falou que o certo era fazer o Aborto porque poderia nascer com outros problemas congênitos como (retardamento mental vegetativo, síndrome de dow também vegetativa ), mas ai ele me pediu pra me consulta com um Anjo o Dr. Mauricio Saito. Nesse intervalo conheci meu outro anjo meu marido Cicero Elias minha pilastra me ajuda ate hoje minha vida,que cuida de nos. Fui fazer a consulta com o Dr. Mauricio Saito, ele é pioneiro em fazer genética e ultrasom de alto resoluções. Eu fiz com ele 2 retiradas de líquido da placenta pra fazer a cadeia genética da Alice pra saber se poderia nascer com uns dos problemas genéticos e outros, não precisaria retira os líquido se o reprodutor dela desse o sangue, ele não doou, bom ai fiz as retiradas. Na 1° o medico não tinha tanta esperança, eu gravei o ultrasom mas o Dr. Ficou com ele, ele foi fazer uma palestra nos E.U.A convenção de médicos, ai ele me pediu a 2° e ele estava mas esperançoso me disse que ela não teria nenhum problema, e eu segui minha gestação assim sabendo que ela iria nascer com esse problema genético. Com 36 semanas e 4 dias a Alice Eduarda veio ao mundo no dia 20/05/2013, o medico veio me pergunta se gostaria de vela pelo fato dela ter nascido com os órgãos para fora, eu disse claro gerei ela assim e sabia isso desde do inicio quando ele me trouxe ela eu vi aquele anjo eu dei um chero nela e vi a sua barriguinha ai ele já levou ela pra U.T.I Neo Natal Bom Clima. Os médicos empurraram o abdômen dela e com 12 dias de vida ela fez a 1 cirurgia colocaram tudo para dentro, na cirurgia ela teve uma parada cardíaca e um derrame cerebral, ela ficou entubada 9 dias depois disso o medico veio me dizer que ela não tava mas aceitando nenhum aparelho de respiração e ela teve que ser desentuba, porque ela tava brigando com os aparelhos. Com 30 dias eu vi que ela tava tendo uns espasmos nas mãos, nos pés, os médicos pediram untrasom do cérebro não deu nada, mas na tomografia constou que ela tinha uma lesão equivalente a um derrame de um adulto, eles começaram a administrar mais remédios nela. Com 37 dias de vidas foi meu 1° contato com ela, peguei ela no colo, nossa como aquele momento foi mágico, com 40 dias internada ela teve alta do hospital. Nesse tempo ela teve mas 2 cirurgias retirou a tela que ela tinha no abdômen e hoje já esta todo fechado o abdômen dela, porem ainda tem um buraquinho que insiste em fica aberto mas esta ótima graças a Deus, os médicos não acreditam que ela esta viva porque ela teve a Onfalocele considerada gigante. Essa é nossa historia de vida espero que ajude muitas mães porque nem todos conhece esse problema genético e só passa a conhecer quando acontece com nos, como aconteceu comigo!

                 

Para todas as mães que também são pais!

(...) Um belo dia você se sente mal, a menstruação atrasa, seu corpo muda e você resolve tirar a dúvida da cabeça: “Será que estou grávida?”. Compra o teste mais barato que tem na farmácia (antes que perguntem: de R$10 a R$20), toma coragem, faz xixi no potinho, e então… tchãraam! Duas tiras surgem no filete… é, cara amiga… tenho uma notícia pra você:  Você está grávida! (Faça o teste de sangue e passe por um ginecologista após isso, ok? É de graça e alguns saem em 1 hora.) 
Digamos que na melhor das hipóteses você está tentando engravidar a muito tempo, é casada, tem um emprego dos sonhos e todos esperam que você tenha logo um bebê, se esse é teu caso: PARABÉNS! Mas, como nada é perfeito, muitas vezes o filho é inesperado e você não sabe como lidar com isso. Na hora a vista fica escura, o coração ou para ou dispara, bate AQUELE desespero e um pensamento recorrente “Putz! O que eu faço agora?”. Se você está em dúvidas entre contar a sua família antes ou depois do pai da criança: primeiro conte ao pai do seu bebê. Assim você terá uma posição ao contar a sua família, se o cara vai ou não assumir e etc… E eles poderão te ajudar a resolver isso melhor.
Na segunda melhor das hipóteses você se relaciona(ou) com um cara legal, e, estando ou não juntos, ele vai enfrentar isso com você. Se esse for seu caso: PARABÉNS! Caso o cara que você namora/namorou/fica/mora seja um babaca, melhor ficar solteira… ok? Não force continuar/voltar com ele só por que você está grávida. Só vai te dar mais STRESS e você ao invés de UMA criança para cuidar, terá DUAS. Vai por mim (...) Não vou entrar no mérito de você não saber quem é o pai (...) Neste caso, eu espero que você tenha uma família e alguns amigos que te ajudem a passar por isso. 
Bom, agora digamos que você está(va) se relacionando um cara não muito legal, ou qualquer coisa que impeça você de estar tranquila ao contar que depois dos nove meses ele vai ver o resultado (...) Como contar a ele? Afinal, é responsabilidade dele também, você não fez um bebê sozinha, fez?
1ª hipótese: O Cara é legal!
Possíveis reações: 
  • Ele vai aceitar normalmente, e até ajudar a te acalmar.
  • Ele vai ficar confuso como você, mas o nervoso vai passar e tudo vai se ajeitar.
2ª hipótese: O Cara é um babaca!
Possíveis reações: 
  • "Esse filho não é meu!"- Típico da raçaÉ óbvio que você tem que ter certeza de quem é o pai da criança que você tem aí dentro. Já que você tem CERTEZA: 1º- Não bata no cara. Como eu disse, isso é típico. 2º- Deixe o cara respirar e pensar sobre o assunto durante um tempo (2 dias no máximo, temos um pré-natal pela frente). GERALMENTE crianças levam mais tempo para absorver algumas coisas (...) após esse tempo, o cara acaba aceitando. Caso ele não aceite:
  • "Quero DNA!"- Desejo bastante recorrente em homens da raça. Mas esse é mais fácil, se o problema for o DNA e você tem CERTEZA de que o filho é dele, busque apoio de familiares, amigos, faça o teste e esfregue na cara dele.
  • "Você vai ter que abortar!"- Na minha modesta opinião, esse cara não deveria nem ter nascido e merece morrer. Mas digamos que temos que ter piedade e compaixão de um cara que não passou mentalmente dos 2 anos como esse. 1º- NÃO ABORTE! De atitude infantil já basta a desse cara que você teve a infelicidade de um dia conhecer, ok? Se você está grávida, seja mulher o suficiente de assumir o que fez e ponto! Será difícil? Meu… te digo… pra CARALHO! Mas não justifica a burrice de você abortar. Você tem uma vida aí dentro de você, um pedacinho de você. Alguém aí dentro que te ajudará a crescer e te dará as maiores alegrias do mundo. Podem parecer palavras vazias nesse primeiro momento de desespero, mas espere alguns meses e verá o que estou falando. Não mate seu bebê! 2º- Tenha calma! Crianças como esse indivíduo exigem paciência… 3ª- Seja firme! Tenha uma coisa em mente: "Não vou abortar com pai ou sem pai!". Diga isso a ele da melhor e mais calma forma possível (claro que terá vontade de voar na garganta dele), “Olha, eu vou ter essa criança com ou sem você!”, lembre-o que a justiça está ao seu lado. Caso ele não saiba, o filho, pela lei, já é dele com ou sem DNA. Caso ele exija DNA, vale a primeira dica. Enfim: não aborte. Veja se você quer mesmo este verme ops.. pai pro seu bebê, se achar que vale a pena, insista, se não, vá pra Guatemala e crie seu filho lá longe desse cara.
Tenha consciência de que você será pai e mãe dessa criança. As pessoas não mudam. Não espere que depois que nascer “ele vai aceitar”, ou, “quando ele ver a carinha dessa criança, ele vai mudar…”. Isso é mito, a maioria desses caras são frios mesmo, não se iluda. Mas acredite: você tem a força de 10 homens se for preciso. Afinal (...) Você É MÃE agora. Isso pode assustar nesse primeiro momento, mas acredite… é o “erro” mais certeiro que aconteceu na sua vida(...)Afinal, existe um manual de como enfrentar o mundo por você e pelo seu filho sem apoio 24h de um companheiro (ou companheira)? Como passar pelo preconceito da sociedade? E na hora do desespero não tendo pra quem ligar?

 E, antes que eu me esqueça:  Parabéns, mamães! rs. *--------* 

Mexendo na internet vendo alguns videos achei esse, me coloquei no lugar de muitas mães inclusive da minha e achei lindo e sei que MUITAS leitoras aqui do blog passam por isso, tirem 5 minutos para ver esse vídeo vale muito a pena , ah e Feliz dia das Mães adiantado para vocês *-

(...) 180º é um curta-metragem produzido pela Gatacine e 
dirigido por Marcelo Galvão criado para o Dia da Mães.

 

© Template Grátis por Cantinho do Blog. Quer um Exclusivo?Clique aqui e Encomende! - 2014. Todos os direitos reservados.Imagens Crédito: Valfré